Quem acompanha a minha história sabe que em 2015 iniciei uma nova jornada, dando – me o presente de cursar a graduação em Viticultura e Enologia no IFRS de Bento Gonçalves. Dada a minha forte interação com o vinho fino do Brasil, o qual busco conhecer desde a década de 1990 (nunca fiz coro à ideia de que só vinhos importados são bons), ainda durante o curso iniciei projetos com o objetivo de valorizar e divulgar o produto brasileiro: i) o blog Adega do Chamon, no qual publico minhas avaliações e de enófilos sobre vinhos e espumantes do Brasil; ii) a reunião de mais de 160 enófilos (número que cresce continuamente) de vários estados, com os quais faço discussões técnicas sobre viticultura e enologia, e indico os produtos de micro e pequenas vinícolas brasileiras (fora das lojas e supermercados do país), iii) e a compra de uvas de boa qualidade (remunerando a contento os produtores que me fornecem) para a elaboração de vinhos finos para este grupo.


Apesar de não trabalhar como vendedor, alguns números dos meus projetos também comprovam o potencial mercadológico do produto brasileiro. Desde 2015, minhas indicações resultaram na venda de mais de R$ 500 mil em vinhos (majoritário) e espumantes de dezenas de vinícolas, e o projeto de vinificação para a safra de 2018 supera o montante de R$ 120 mil.


Importante ressaltar que os amigos e amigas que me acompanham degustam vinhos de todo o mundo, mas se dispuseram a conhecer, avaliar e comprovar a qualidade do produto brasileiro.


Convido você também a conhecer estes projetos, e a fazer parte deste grupo que cresce a cada dia!